Skip links

Mídia e Homofobia

Projeto Mídia e homofobia: linguagem, construção da realidade e agendamento

Como os principais veículos de comunicação brasileiros abordam a homofobia e os sujeitos e questões a ela relacionados? Qual o seu poder de agendamento sobre outros veículos, em relação a tais temas? Essas perguntas consideram, por um lado, que, sendo a homofobia presente na vida cotidiana brasileira, fatos associados a ela não cessam de emergir no cotidiano. Sendo assim, é de se esperar que a rede noticiosa montada pelos veículos de comunicação em algum momento “capture” esses fatos e os transformem em notícias, que tanto circularão entre seus leitores/telespectadores, quanto irão gerar outras histórias, em outros veículos. Esse saber o mundo que as narrativas jornalísticas (LEAL, 2006) põem em circulação, portanto, é decisivo para o modo como os diversos grupos sociais constroem sua realidade e elaboram sua percepção do cotidiano. O saber que a mídia noticiosa põe em circulação sobre as identidades LGBT e a homofobia é o alvo das investigações do projeto Mídia e Homofobia, realizado em parceria com o Ministério da Saúde e o Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime. Articulada à pesquisa “Narrativas do Real”, realizada junto ao PPGCOM/UFMG, a investigação tem como objeto os jornais Folha de S. Paulo, O Globo e o Tempo, a revista Veja, e os telejornais MGTV e Jornal Nacional.