Idioma: Português English Español

Núcleos de Pesquisa e Grupos de Estudo

Capacitação em Pesquisas Sociais (CECAPS)

(Confira o site do CECAPS)

A ideia do centro é a de desenvolver, através das pesquisas, e repassar, através de cursos, ferramentas que possibilitem a elaboração, a avaliação e o monitoramento de programas sociais. O nosso público alvo são gestores e formuladores das políticas sociais, tanto do setor público, como do setor privado e do terceiro setor (ONGs).  A intenção é a subsidiá-los nas tomadas de decisões na implementação de políticas sociais novas e para garantir o aprimoramento de políticas existentes.

Em suas atividades o CECAPS desenvolve pesquisas na área de avaliação e gestão de projetos sociais. Atualmente são 9 projetos, sendo 5 acadêmicos que contam com o financiamento da FAPEMIG e CNPq e 4 contratos de prestação de serviços através da FUNDEP financiados pelo Governo de Estado de Minas Gerais e por municípios do estado.

 

Centro de Estudos da Religião Pierre Sanchis

O Centro de Estudos da Religião Pierre Sanchis, sigla CER Pierre Sanchis, é um órgão vinculado ao Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais. Possui um caráter pluridisciplinar e inter-institucional. Sua constituição tem uma história particular. Nasceu não de um projeto abstrato, mas de um convite para participar de um projeto de pesquisa nacional, que envolveu seis universidades em cinco cidades do país. Esse projeto intitulado "Religião e Política entre alunos de Ciências Sociais" funcionou como polo agregador do Centro. O desenvolvimento da pesquisa, em sua primeira parte, ao longo de 2000, foi solidificando o grupo e colocando a necessidade, para a própria continuidade de seu trabalho, de uma organização institucional, com o decorrente cadastramento no diretório do grupos de pesquisa do CNPq.

 

Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (CRISP)

(Confira o site do CRISP)

A Universidade Federal de Minas Gerais, através do Departamento de Sociologia e Antropologia vem, desde a década de 1980, pesquisando e formando pessoal especializado na área de criminalidade e segurança pública. A história da UFMG, nesse campo, mistura-se e confunde-se mesmo com a história do conhecimento científico da criminalidade, da violência e do estudo das organizações policiais. Não só o pioneirismo, mas também o volume e a qualidade dos trabalhos desenvolvidos tornaram o Departamento de Sociologia e Antropologia um referencial nacional no que se diz respeito à análise e ao desenvolvimento de iniciativas voltadas para o estudo da violência e da criminalidade no Brasil.

Em 1996, já como decorrência de um vasto conhecimento adquirido na área, e das demandas sociais que se apresentavam constantemente, foi criado na UFMG, o Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (CRISP), herdeiro departamental dessa tradição de estudos sobre violência e criminalidade. O Centro é composto por um grupo de pesquisa, e, sendo seu objeto de estudo um fenômeno interdisciplinar e multidisciplinar, ele também é composto por pesquisadores oriundos de diferentes backgrounds: sociologia, estatística, ciência da computação, economia, filosofia, pedagogia, medicina.
O CRISP conquistou, ao longo dos últimos anos, um lugar de destaque no meio acadêmico pela excelência de suas pesquisas e produções técnico-científicas.

 

Centro de Pesquisas Quantitativas em Ciências Sociais (CPEQS)

(Confira o site do CPEQS)

O CPEQS é um centro de excelência acadêmica fundado em 2006, a partir da iniciativa da Dra. Neuma Aguiar, professora titular aposentada do departamento de Sociologia da UFMG. Ao longo da sua trajetória o Centro elaborou três surveys multidisciplinares na região metropolitana de Belo Horizonte; uma pesquisa inédita sobre usos do tempo; estabeleceu convênios internacionais para a elaboração de pesquisas comparativas; e treinou centenas de alunos e profissionais em métodos quantitativos no âmbito do curso intensivo em Metodologias Quantitativas (MQ), análogo aos cursos de verão do ICPSR de Michigan. Hoje, o Centro mantém a sua função primordial e pioneira de treinar e congregar professores e alunos extraordinários para fomentar o desenvolvimento e divulgação de pesquisas quantitativas de qualidade, que investigam números sociais que importam.

 

Centro de Estudos Urbanos (CEURB)

 

Curso de Metodologia Quantitativa (MQ)

(Confira o site do MQ)

A Pós-Graduação em Sociologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) e o Centro de Pesquisas Quantitativas em Ciências Sociais (CPEQS) promovem anualmente, desde 1999, o Programa de Treinamento Intensivo em Metodologia Quantitativa (MQ) da UFMG. O Programa destina-se a professores, pesquisadores e estudantes de pós-graduação em Ciências Sociais, bem como aos profissionais de áreas que tenham formação equivalente.

Mais de 2.200 estudantes de todo o Brasil já participaram do MQ, propiciando oportunidades de intercâmbio científico e de parcerias em projetos de pesquisa. O Programa já teve parcerias com as Universidades de Michigan (Ann Arbor), a de Cape Town e a de Varsóvia em projetos de ensino de métodos quantitativos e na produção de surveys comparativos. Os professores do MQ são especialistas em suas áreas de ensino, sendo recrutados nacional e internacionalmente.

Por sua tradição e qualidade, O MQ é hoje referência de excelência no ensino de Métodos Quantitativos no Brasil, condição reconhecida pela Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS) e pela Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS).

 

Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Análise em Redes Sociais (GIARS)

(Confira o site do GIARS)

O Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Análise em Redes Sociais (GIARS), credenciado junto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico  (CNPq-Brasil), tem como objetivo construir massa crítica nas diversas metodologias que visam produzir e analisar dados sobre estruturas sociais relacionais, comumente conhecidas como redes sociais. Reúne pesquisadores de diversas áreas que enfrentam desafios comuns na operacionalização de problemas de pesquisa onde o objeto básico são estruturas de interação social. Para tanto, são realizados encontros nacionais e seminários locais que socializam, no âmbito da língua portuguesa, pesquisas de referência internacional assim como aperfeiçoam os modelos de análise aplicados nos projetos de pesquisa dos participantes. A atividade formativa do grupo envolve, paralelamente, o treinamento em técnicas específicas da análise de redes sociais (análises descritivos, modelos estatísticos e uso de softwares especializados).

 

Laboratório de Pesquisa em Estratificação Social e Trabalho (LAPEST)