Home > Destaque > Simpósio sobre a Teoria das Molduras Relacionais traz Dermot e Yvonne Barnes-Holmes à UFMG

Imprimir Voltar

Simpósio sobre a Teoria das Molduras Relacionais traz Dermot e Yvonne Barnes-Holmes à UFMG

Nos dias 16 e 17 de abril, a UFMG sediará o Simpósio sobre a Teoria das Molduras Relacionais: uma Abordagem Comportamental da Linguagem e da Cognição e suas Aplicações Clínicas, cujas atividades serão conduzidas pelos pesquisadores Dermot Barnes-Holmes e Yvonne Barnes-Holmes, da Univesidade de Gent, da Bélgica.

No primeiro dia, serão ministradas duas palestras: Relational frame theory: a basic introduction to core concepts and issues, de Dermot Barnes-Holmes, e An introduction to acceptance and commitment therapy (ACT): core ethos and basic techniques, de Yvonne Barnes-Holmes. No segundo    dia está programado um seminário avançado.

Interessados podem se inscrever apenas para as palestras. Caso realizem pesquisas em nível avançado, também poderão se matricular no seminário, cujo título é Relational frame Theory and the Implicit Relational Assessment Procedure: Advanced Concepts and Issues. Ele será ministrado por Dermot.

As atividades serão realizadas nos auditórios 1 e 3 da Faculdade de Ciências Econômicas (Face) e ministradas exclusivamente em inglês, sem tradução simultânea. As inscrições, gratuitas, devem ser feitas pela internet.

Linguagem, pensamento e inteligência

Ao lado de Steven C. Hayes, Dermot Barnes-Holmes é expoente da Teoria das Molduras Relacionais, corrente de base comportamental pós-skinneriana ainda pouco difundida no Brasil. Essa teoria propõe novas maneiras de interpretar fenômenos comportamentais e explicar a linguagem, o pensamento e a inteligência. Uma aplicação clínica dessa vertente teórica é a Acceptance and Commitment Therapy (ACT), que tem Yvonne Barnes-Holmes como uma de suas principais estudiosas.

A expectativa dos organizadores do simpósio é que, a partir do simpósio e de outras atividades acadêmicas do casal Barnes-Holmes no Brasil, a Teoria dos as Molduras Relacionais possa ser conhecida com mais profundidade, influenciar procedimentos experimentais e enriquecer as pesquisas sobre cognição e comportamento.

Com Cedecom/UFMG – Flávio Almeida

Destaque

Últimas Notícias

Ver todos >