fev
21
qui
Defesa Dissertação – ADRIANA TIMOTEO DE OLIVEIRA @FAFICH - SALA 2060
fev 21@09:00 – 11:00

Comissão Examinadora:

Prof. Nádia Laguárdia de Lima (UFMG)
Prof. Bernardo Micherif Carneiro (Ciências Médicas)
Prof. Cristiane de Freitas Cunha Grillo (UFMG)

Título: Os desafios e os efeitos da transferência no trabalho com adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa em meio aberto e ameaçados de morte

Resumo:

Esse trabalho discorre sobre os desafios e os efeitos do estabelecimento da transferência no trabalho com adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa em meio aberto e ameaçados de morte. No primeiro capítulo, aborda-se a articulação possível da psicanálise com a assistência social, contextualizando o campo das medidas socioeducativas em meio aberto como um dos serviços do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS. São feitas também algumas considerações metodológicas problematizando o lugar da psicanálise entre as ciências, além de apresentarmos as contribuições de quatro dissertações com temas afins. Os fragmentos de três casos clínicos atendidos pela pesquisadora são fundamentais na pesquisa, pois delineiam os pontos teóricos que foram objetos de estudo como: transferência, adolescência, risco e ameaça de morte. Pesquisou-se o conceito de transferência em Freud e em Lacan, assim como em autores contemporâneos, abordando ainda os desafios do estabelecimento da transferência quando os atendimentos ocorrem dentro de instituições e principalmente quando não se tem uma demanda de tratamento colocada desde o início. Conclui-se sobre a importância do processo de transferência no atendimento aos adolescentes ameaçados de morte, tanto por abrir a via da palavra, contribuindo para a construção de um sentido que apazigue o gozo mortífero ao qual estão submetidos, quanto pela possibilidade de despertar, nesses jovens, o desejo de viver.

Defesa Dissertação – JESSICA FERNANDA MATIAS @FAFICH - SALA 3021
fev 21@14:00 – 16:00

Comissão Examinadora:

Prof. Oswaldo Franca Neto (UFMG)
Prof. Jacqueline de Oliveira Moreira (PUC Minas)
Prof. Marcia Maria Rosa Vieira Luchina (UFMG)

Título: Histeria masculina: considerações sobre os impasses para o homem histérico na assunção da posição sexual

Resumo:

Esta pesquisa tem como objetivo investigar os impasses para o homem histérico, no que se refere à assunção da posição sexual masculina. Consideramos, para isso, o percurso no complexo de Édipo e a relação com a castração, por meio do que o sujeito assume posições psíquicas para o estabelecimento da sexualidade e é também dos percalços desse processo que resulta a neurose. Inicialmente, buscamos considerar a importância de alguns aspectos que subsidiam a relação do homem com o que é próprio da sexualidade masculina e que o possibilite transitar por meio daquilo que é particular em sua identidade sexual. Em seguida, o rastreamento nos textos de Freud e Lacan que tratam da temática, sobretudo dos casos discutidos pelos autores, permitiu delimitar e identificar particularidades a respeito da chamada histeria masculina que designa, conforme empregado pelo referidos autores, a posição histérica em homens, anatomicamente falando. Entendemos que a implicação na simbolização da castração e os efeitos disso na realização simbólica, assinalam para o homem histérico uma problemática diante da qual se impõe a necessidade de assegurar o que lhe escapa. Com isso, o histérico toma o caminho do amor ao pai, na crença dessa potência que teria sido capaz de dar conta do irrepresentável do qual o sujeito se vê frente à imagem que a privação da mãe lhe impõe e da angústia que o desejo desta o submete. Portanto, a dificuldade em renunciar a identificação com o falo materno, as implicações na transmissão do falo simbólico, bem como a sustentação do amor ao pai, são os aspectos que dimensionam os traços de feminização presentes nos homens que encontram saída em uma posição histérica.

fev
22
sex
Defesa Dissertação – MARCELA FERNANDA DE SOUZA @FAFICH - SALA 2060
fev 22@10:00 – 12:00

Comissão Examinadora:

Prof. Nádia Laguárdia de Lima (UFMG)
Prof. Marcelo Ricardo Pereira (UFMG)
Prof. Jacqueline de Oliveira Moreira (PUC Minas)

Título: A verdade no discurso analítico e o encontro com a socioeducação

Resumo:

Esta dissertação apresenta uma reflexão teórica a partir da prática clínica orientada pela psicanálise no campo da socioeducação, especificamente no contexto da privação de liberdade destinada a adolescentes que praticaram atos infracionais. Os relatos de agressão descritos pelos adolescentes, sofridos na instituição, despertaram o nosso interesse pelo estudo da noção de verdade em psicanálise, diferenciando-a do discurso jurídico. A questão de investigação que orienta essa investigação é: o que a escuta de adolescentes privados de liberdade nos ensina sobre saber e verdade no discurso institucional? Apresentamos inicialmente a legislação que norteia o trabalho com adolescentes autores de atos infracionais no Estado de Minas Gerais, e, em seguida, refletimos sobre a lógica de vigilância e normatização dos corpos através das contribuições teóricas de Michel Foucault, Jeremy Bentham e Erving Goffman. Apresentamos a noção de adolescência em psicanálise, analisando as especificidades da prática criminal nesse tempo lógico. A ênfase teórica está na relação entre saber e verdade nos quatro discursos elaborados por Jacques Lacan, a partir do estudo do Seminário livro 17: O avesso da psicanálise. Buscamos investigar os discursos operantes em uma unidade socioeducativa, refletindo sobre a relação entre verdade e saber em cada discurso; para, em seguida, refletirmos sobre as incidências discursivas do lugar de infrator ocupado pelo adolescente na instituição socioeducativa. Compreendemos que os discursos operantes na instituição levam ao silenciamento das singularidades. Nesse contexto, ressaltamos o desafio do analista em fazer emergir o sujeito em sua dimensão de divisão. A escuta psicanalítica permite ao sujeito adolescente ter acesso à sua verdade, em forma de semi-dizer.

Defesa de Dissertação – KARINA DIAS GÉA @Escola de Ciências da Informação - Sala 1000
fev 22@14:00 – 16:00

Comissão Examinadora:

Prof. Lisandra Espindula Moreira (UFMG)
Prof. Letícia Cardoso Barreto (ufmg)
Prof. CLAUDIA ANDREA MAYORGA BORGES (UFMG)
Prof. Ana Paula da Silva (Universidade Federal Fluminense – UFF)

Título: Puta tem direito à cidade? A resistência das prostitutas na cidade planejada

fev
25
seg
Defesa Dissertação – CAMILA RODRIGUES FRANCISCO @FAFICH - AUDITÓRIO BAESSE
fev 25@14:00 – 16:00

Comissão Examinadora:

Prof. CLAUDIA ANDREA MAYORGA BORGES (UFMG)
Prof. Lisandra Espindula Moreira (UFMG)
Prof. Thula Rafaela de Oliveira Pires (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro)

Título: Trajetórias em diáspora: as experiências de universitárias haitianas em Belo Horizonte

Resumo:

Esta pesquisa está sendo desenvolvida no marco da minha pós-graduação, mestrado em Psicologia Social na UFMG. O campo-tema aqui trabalhado foram as trajetórias de duas universitárias haitianas de Belo Horizonte, de duas faculdades de ensino superior diferentes, uma pública e uma privada. A partir do que evoca a experiência de estudantes africanos, com o campo etnográfico e a literatura, que em sua maioria são negros e negras, percebi que muito pouco se fala sobre a experiência da mulher neste contexto. Por outro lado, na tentativa de escolha pelo país percebo que muito pouco se fala sobre estudantes haitianos; fala-se muito nessa experiência como refugiados e imigrantes para trabalho. Adentrar o debate da imigração no Brasil me fez perceber que apesar de interessante, no que se refere por exemplo, pensar a experiência dos estudantes do PEC-G como uma experiência de migração com fins de estudo, ela deixa de fora algumas questões importantes em torno do racismo no Brasil, e essa ausência não é ingênua. O campo-tema construído teve a ver com a participação em eventos da comunidade acadêmica internacional, conversas com estudantes estrangeiras de diversos países africanos, e entrevistas semi-estruturadas com as duas estudantes haitianas. Algumas reflexões importantes são: 1) A migração com fins de estudo possui singularidades que atravessam diretamente as trajetórias destas estudantes; 2) O racismo que estes estudantes homens e mulheres negras e negros sofrem se incide de maneira muito particular para os homens e as mulheres; 3) Muitas estudantes, tanto de países de África quanto haitianas, escolhiam o Brasil justamente comprando o discurso vendido na mídia internacional da democracia racial; em que pese o fato de que a Revolução Haitiana foi a primeira revolução em prol da independência do país que de fato foi protagonizada por escravizados e ex-escravizados negros e negras; 4) Existe um relativo “distanciamento” entre estudantes migrantes e migrantes com fins de trabalho, que não tem a ver apenas com uma questão de classe. Duas perspectivas de análise teórica presentes neste trabalho, desde intelectuais negros, é a da antinegritude: o racismo – e portanto o genocídio – que incide sobre a existência de pessoas negras, independendo do que elas fazem (ou não fazem); e a de identidade diaspórica de Edmund Gordon, que articula as noções de Stuart Hall e Paul Gilroy sobre diáspora mas propõe uma terceira via que tenta se afastar de um essencialismo ou um hibridismo total que aparecem nas perspectivas destes dois autores.

fev
28
qui
Defesa Dissertação – THAYNA LARISSA AGUILAR DOS SANTOS @FAFICH - AUDITÓRIO BICALHO
fev 28@14:00 – 16:00

Comissão Examinadora:

Prof. Claudia Maria Filgueiras Penido (UFMG)
Prof. Maria Elizabeth Barros de Barros (UFES)
Prof. Deborah Rosária Barbosa (UFMG)

Título: A dimensão técnico-pedagógica do apoio matricial no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) em Belo
Horizonte