GRIS LANÇA “RADAR DE CELEBRIDADES”

Projeto almeja desenhar quadro de valores que rege a sociedade a partir da análise e observação de figuras públicas brasileiras.

O Gris lança amanhã, 24 de Maio, seu novo projeto: o Radar de Celebridades, um panorama de indivíduos que ganharam destaque na cena pública brasileira. Os pesquisadores vão publicar perfis com acontecimentos biográficos, assim como onde essas personalidades são acessadas, especialmente nas redes sociais. O objetivo é identificar o que torna alguém digno de atenção popular e como esse alguém influencia diferentes públicos. As seis primeiras personalidades perfiladas são a cantora Anitta, a apresentadora Fátima Bernardes, a influenciadora digital Kéfera, o político Lula, o jogador de futebol Neymar e o padre Fábio de Melo.

O Radar de Celebridades faz parte do projeto de GrisLab, que acompanha e produz análises sobre acontecimentos desde 2013. Qualquer um poderá acessar o Radar e fazer sugestões pelo site do GrisLab.

A cada dez dias, o grupo vai publicar um novo perfil, que será atualizado continuamente. O projeto vai analisar artistas de televisão ou cinema, esportistas, líderes religiosos, personalidades do meio político, figuras das redes sociais, modelos ou quaisquer outros tipos de celebridade. O Radar busca entender quais emoções e impressões são suscitadas por essas personalidades: qualquer indivíduo conhecido e reconhecido socialmente pode ser estudado, independentemente de ser objeto de admiração ou repulsa.

“Nós não temos interesse nas celebridades em si. O nosso interesse é o interesse da sociedade nas celebridades” comenta Vera França, subcoordenadora do Gris e professora titular do Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da UFMG (PPGCOM). A professora do PPGCOM e coordenadora do Gris, Paula Guimarães, acrescenta: “Entendemos que as celebridades, devido à presença e à força que apresentam em nossa sociedade, podem nos ajudar a compreender a sociedade em que vivemos e o quadro de valores que orienta as ações de seus membros.”

GrisLab participa de Seminário de Crítica de Mídia

A coordenadora do GrisLab e professora de Comunicação na UFMG, Paula Guimarães Simões, participou como conferencista no Seminário de Crítica da Mídia, aberto ontem, 24 de Abril. Ela, junto com o prof. Ercio Sena, do  Centro de Crítica de Mídia (CCM), a profa. Daniella Lopes e a doutoranda Eliara Ferreira, do Grupo de estudos em Mídia e Discurso (MID), debateram “Observatórios e Grupos de Pesquisa: Experiência de Crítica Midiática”.

Paula Simões apresentou a metodologia e dinâmica do “Laboratório de Análises de Acontecimentos do Gris” (GrisLab). A professora falou brevemente sobre a matriz teórica, o formato e a periodicidade das análises do laboratório. Paula também destacou como o projeto se consolidou desde a inauguração, em 2013, sendo um braço de pesquisa e extensão do grupo, bem como a fase de balanço das atividades em que se encontra.

O Seminário de Crítica de Mídia é realizado pelo CCM e conta com a participação de pesquisadores de comunicação e profissionais que atuam de modo autorreflexivo no jornalismo, na publicidade e no cinema. O evento busca refletir sobre as relações complexas tecidas, diariamente, entre a mídia e o restante da sociedade.

O Seminário vai até amanhã, 26 de Abril, no Campus Coração Eucarístico da PUC Minas. Veja a programação de hoje e amanhã:

Dia 25 de abril:

15h20: Conferência 7 – Reflexividade no Cinema, com Alice Riff

17h10: Conferência 8 – Música e Memória: Construções Biográficas no Cinema e na Mídia, com Bruna Santos, Graziela Cruz e Mozahir Salomão Bruck

Dia 26 de abril:

8h50: Conferência 9 – Memória, consumo e práticas lúdicas: Cosplay, Medievalismo e Steampunk, com Mônica Ferrari

10h40: Conferência 10 – Semiótica Aplicada à Publicidade, com Clotilde Perez

15h20: Conferência 11 – Dinâmicas Identitárias nas Redes Sociais, com Beatriz Polivanov

17h10: Conferência 12 – Políticas do Streaming: Algoritmos e Curadoria Musical, com Rodrigo Fonseca

Mais informações clique aqui.

Gris participa de Seminário sobre midiatização em Porto Alegre

Dois pesquisadores do Gris participaram da segunda edição do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais. O evento aconteceu entre os dias 9 e 12 de Abril, na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), no Rio Grande do Sul. A subcoordenadora do Gris, professora titular Vera Regina Veiga França, foi uma das palestrantes na conferência de abertura:  “Epistemologias da Comunicação”. Ela, com os professores Goran Bolin da Suécia e Pe. Pedro Gomes da Unisinos, debateram os vários conceitos de midiatização e seus adjacentes.

Já na quarta-feira, 11 de Abril, o bolsista de apoio técnico do GrisLab e mestrando em Comunicação pela PUC-Minas, Paulo Basílio, fez uma apresentação no Grupo de Trabalho “ Midiatização da Política: Processos e Casos A”. Em seu artigo intitulado “Midiatização da política em tempos de redes sociais digitais: A suposta campanha precoce de Jair Bolsonaro”, Paulo defende que a midiatização altera a temporalidade das disputas por cargos públicos e analisa algumas das postagens nas redes sociais do deputado federal e pré-candidato à presidência da república, Jair Bolsonaro, conhecido pelo seu discurso violento e preconceituoso. Segundo ele, a suposta campanha antecipada de Bolsonaro, denunciada pelo Ministério Público Eleitoral e absolvida pelo Tribunal Superior Eleitoral, exemplifica efeitos da atual midiatização na política brasileira.

Sobre Midiatização

O conceito de midiatização hoje é utilizado para descrever as mudanças da sociedade e dos meios de comunicação na contemporaneidade. Segundo autores como Fausto Neto e José Luiz Braga, a mídia deixaria de exercer um papel auxiliar na sociedade e passaria a dar o tom às relações. Desta forma, o processo de midiatização pode ser entendido como uma dinâmica em curso na qual os processos midiáticos se tornam referências para as interações sociais.

Para saber mais:

BRAGA, José Luiz. Mediatização como processo interacional de referência. In: MÉDOLA, Ana Silvia L. D.; ARAUJO, Denise C.; BRUNO, Fernanda (Org.). Imagem, visibilidade e cultura midiática. Porto Alegre: Sulina, 2007. p. 141-167.

FAUSTO NETO, Antônio. Midiatização, prática social-prática de sentido. 5º Encontro Anual da COMPÓS – Associação Nacional dos Programas de  Pós-Graduação em Comunicação. UNESP-Bauru, 6 a 9 de junho de 2006.

FRANÇA, V. R. V.; SIMÕES, P. G. – Celebridades como ponto de ancoragem na sociedade midiatizada. Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 21, n. 3, p. 1062-1081, set.-dez. 2014

Primeira banca do Gris em 2018 discute imagem pública de Dilma e Temer

No dia 9 de Março, a mestranda do Programa Pós-Graduação em Comunicação Social (PPGCOM) da UFMG, Laura Ântonio Lima defendeu sua dissertação de mestrado intitulada: A construção das imagens públicas de Dilma Rousseff e Michel Temer durante o impeachment de 2016. A pesquisa foi orientada pela professora e coordenadora do Gris, Paula Guimarães Simões.

O estudo proposto por Laura Lima analisa comparativamente quase 800 unidades das revistas semanais Veja e Carta Capital publicadas no decorrer do processo de Impeachment. Abordando tanto os conceitos de imagem pública quanto de representação, a autora mostra como as imagens dos então presidenta e ex-presidente se transformaram com o passar do tempo. Em sua conclusão, ela destaca como os valores tanto do patriarcado quanto da economia influenciaram na representação dos dois políticos.

A banca examinadora contou com a professora da Universidade Federal de Viçosa (UFV),  Rayza Sarmento de Sousa, e com a subcordenadora do Gris e professora titular do PPGCOM, Vera Regina Veiga França. O trabalho foi aprovado pela banca, concedendo o título de Mestra em Comunicação Social para a mestranda.

COMPÓS publica nota de repúdio à atuação da PF na UFMG; leia na íntegra

A COMPÓS publicou em sua página no Facebook, no último dia 8 de dezembro, uma moção de repúdio à atuação da Polícia Federal na operação “Esperança Equilibrista”, que conduziu coercitivamente professores, reitores e ex-reitores da UFMG por um suposto desvio de verbas na execução das obras e pesquisas relacionadas ao Memorial da Anistia.

Nós, membros do GRIS,  endossamos o conteúdo da nota e nos somamos aos protestos da comunidade acadêmica da UFMG e de todo o Brasil contra o ataque sofrido.

Confira a nota abaixo:

“#MoçãodeRepúdio

A COMPÓS, Associação Nacional de Programas de Pós Graduação em Comunicação, vem a público manifestar sua solidariedade à comunidade da UFMG e expressar veemente repúdio à forma arbitrária de atuação da Polícia Federal na operação denominada “Esperança Equilibrista”. Uma ação dessa natureza nos parece particularmente nefasta, notadamente após a desastrosa operação “Ouvidos Moucos” na Universidade Federal de Santa Catarina, que resultou na trágica morte do Reitor Luiz Carlos Cancellier Olivo.

Consideramos especialmente lamentável que as conduções coercitivas visem macular um projeto sobre a memória das lutas contra as barbaridades cometidas pela ditadura no passado. Só que agora as ações bárbaras são chanceladas pelo poder judiciário e o seu braço armado, a Polícia Federal. Ações do tipo ameaçam desestabilizar a universidade pública, desrespeitando o seu lugar como espaço plural de reflexão, de produção de conhecimento e de mediação com diversos setores da sociedade.”

“Gêneros Midiáticos e Identidades” será lançado pelo Selo PPGCOM

Livro que foi resultado do IV Seminário Internacional PIMI: Identidades e Gêneros Midiáticos será uma das próximas publicações do Selo PPGCOM, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da UFMG. O evento, realizado no segundo semestre de 2016, teve organização e participação de pesquisadores do GRIS. Continue lendo ““Gêneros Midiáticos e Identidades” será lançado pelo Selo PPGCOM”